Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 16 de abril de 2012

prova sociologia 2º ano


01 - (UEL-PR) Leia o texto.
Kino ouviu a leve batida das ondas da manhã na praia. Como era bom... Tornou a fechar os olhos para escutar a mú­sica dentro dele. Talvez só ele fizesse isso, talvez todos os homens da sua raça também fizessem. Tinham sido em outros tempos grandes fazedores de cantigas, de modo que tudo o que viam, pensavam, faziam ou ouviam virava cantiga. Era assim havia muito, muito tempo. As cantigas haviam ficado e Kino as conhecia, mas não havia cantigas novas. Não era que não houvesse cantigas pessoais. Naquele momento mes­mo, havia na cabeça de Kino uma cantiga clara e terna e, se ele pudesse dar voz aos seus pensamentos, iria chamar-lhe a cantiga da família.
STEINBECK, J. A pérola. São Paulo: Círculo do Livro, p. 8.
De acordo com o texto, assinale a alternativa correta.
a) A cultura se mantém pela tradição, contudo ela pode ser continuamente recriada com a finalidade de expri­mir as novas realidades vividas por indivíduos e grupos sociais.
b) A cultura herdada torna-se desnecessária à medida que os anos passam, sendo, portanto, salutar que os homens do presente esqueçam seus antepassados.
c) A música é ponto de partida da formação de um povo, pois é a partir do momento em que os homens compõem e transmitem sonoramente suas ideias que passam a ter cultura.
d) São indivíduos isolados cujos valores se desenvolvem  com independência em relação à base material que têm diante de si que constituem o ponto de partida para a for­mação da cultura de um determinado povo.
e) Certas raças não conseguem se desenvolver culturalmente, razão pela qual se limitam a exprimir sua história pela música em vez de o fazerem pela linguagem.

02 - A diversidade cultural está desaparecendo no mundo atual? Justifique sua resposta.
Não. Ao mesmo tempo em que buscam interagir com o processo de globalização, todas as culturas das sociedades modernas visam a preservar suas particularidades cultu­rais, como se isso fosse, mais que uma resistência, uma pre­servação da identidade nacional, entre outros aspectos.

03 - No dia 7 de outubro de 2001, Estados Unidos e Grã-Bre­tanha declararam guerra ao regime Talibã, no Afeganistão.
Leia trechos das declarações do então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e de Osama Bin Laden, líder muçulmano, nessa ocasião:
George Bush
Um comandante-chefe envia os filhos e filhas dos Estados Unidos à batalha em território estrangeiro somente depois de tomar o maior cuidado e depois de rezar muito. Pedimos-lhes que estejam preparados para o sacrifício das próprias vidas. A partir de 11 de setembro, uma geração inteira de jovens ame­ricanos teve uma nova percepção do valor da liberdade, do seupreço, do seu dever e do seu sacrifício. Que Deus continue a abençoar os Estados Unidos.
Osama Bin Laden:
Deus abençoou um grupo de vanguarda de muçulma­nos, a linha de frente do Islã, para destruir os Estados Unidos. Um milhão de crianças foram mortas no Iraque, e para eles isso não é uma questão clara. Mas quando pouco mais de dez foram mortos em Nairóbi e Dar-es-Salaam, o Afeganistão e o Iraque foram bombardeados e a hipocrisia ficou atrás da cabeça dos infiéis internacionais. Digo a eles que esses acontecimentos dividiram o mundo em dois cam­pos, o campo dos fiéis e o campo dos infiéis. Que Deus nos proteja deles.
Adaptados de O Estado de S. Paulo, 8/10/2001
Pode-se afirmar que:
a) a justificativa das ações militares encontra sentido ape­nas nos argumentos de George W. Bush.
b) a justificativa das ações militares encontra sentido apenas nos argumentos de Osama Bin Laden.
c) ambos apóiam  num discurso de fundo religioso para justificar o sacrifício e reivindicar a justiça.
d) ambos tentam associar a noção de justiça a valores de ordem política, dissociando-a de princípios religiosos.
e) ambos tentam separar a noção de justiça das justificati­vas de ordem religiosa, fundamentando-a numa estratégia militar.

04 - (UFU-MG) A cultura é uma característica exclusiva­mente humana e os homens participam dela de maneiras distintas. Analisando os sistemas culturais a partir da ótica das mudanças culturais, marque para as alternativas abaixo (V) verdadeira, (F) falsa.
(   ) As culturas são dinâmicas e os processos de mudança trazem conflitos ao implicarem esgotamento de um modelo e sua superação e/ou adaptação a partir de novas tendên­cias e padrões.
(   ) As mudanças nos sistemas culturais só podem ser originadas do processo de aculturação, que significa justa­mente a transformação pelo contato cultural.
(   ) O ajustamento entre padrões ideais e padrões reais de comportamento refletem, de alguma maneira, a dinâmica do processo de mudança cultural.
(    ) Apenas as comunidades isoladas não se transformam, indicando, assim, que todo processo de mudança cultural é imposto externamente.
V, F, V, F

05 - (UEM-PR) A sociologia comporta diferentes explica­ções sobre os fenômenos sociais. Assinale a(s) alternativa(s) cujas afirmações correspondem somente a explicações so­ciológicas sobre o fenômeno da religiosidade.
01. As religiões podem ser compreendidas como instru­mentos de regulação e de controle das atividades dos mem­bros da sociedade. Desse modo, elas são dotadas de força coercitiva.
02. Os sistemas religiosos exercem uma função importante no processo de socialização, ou seja, na assimilação pelos in­divíduos dos valores e das normas que regem sua sociedade.
04. O fenômeno religioso não pode ser considerado um fe­nômeno cultural, já que possui leis muito próprias de fun­cionamento.
08. De acordo com algumas teorias, as religiões expressam vi­sões ideológicas sobre a vida em sociedade que são fundamen­tais para a dominação de uma classe social sobre a outra.
16. As práticas religiosas não constituem tema de inves­tigação sociológica, já que dizem respeito a escolhas e a experiências particulares. Ou seja, elas se definem como um fenômeno individual.
Some os números dos itens corretos. 11 (01 + 02 + 08)

06 - (UEL-PR) “Enunciado de maneira menos formal, etno­centrismo é o hábito de cada grupo de tomar como certa a superioridade de sua cultura”.
“Todas as sociedades conhecidas são etnocêntricas”.
“A maioria dos grupos, senão todos, dentro de uma socie­dade, também é etnocêntrica”.
“Embora o etnocentrismo seja parcialmente uma questão de hábito, é também um produto de cultivo deliberado e incons­ciente. A tal ponto somos treinados para sermos etnocêntricos que dificilmente qualquer pessoa consegue deixar de sê-lo”.
HORTON, P. B. & HUNT, C. L. Sociologia. Tradução de Auriphebo Berrance Simões. São Paulo: MCGraw-Hill do Brasil, 1982. p. 46-47.
Com base nessas informações e nos seus conhecimentos so­bre o tema, considera-se etnocêntrica a seguinte alternativa:


a) O crescimento do PIB argentino tem sido muito superior  ao do brasileiro nos últimos quatro anos.
b) A raça ariana é superior.
c) A produtividade da mão de obra haitiana é inferior à da chilena.
d) Não gosto de música sertaneja.
e) Acredito em minha religião.



07 - (UEM-PR) Chamamos de secularização ou laicização do pensamento o cuidado em se desligar das justificativas basea­das na religião, que exigem adesão pela crença, para só acei­tar as verdades resultantes da investigação racional mediante argumentação.
ARANHA, M. L. e MARTINS, M. H. Temas de Filosofia. São Paulo: Moderna, 2004, p. 106.
Para muitos sociólogos, uma das características bási­cas do mundo contemporâneo é a ampliação do processo de secularização a todos os domínios da vida social. A esse respeito, assinale o que for correto.
01. O declínio acentuado das atividades religiosas no Brasil contemporâneo, expresso pela redução do número de fiéis nos vários grupos cristãos, mostra que este país está viven­do intensamente o processo de secularização.
02. O desenvolvimento industrial, o avanço das instituições e dos conhecimentos técnicos e científicos e as mudanças ocorridas nas sociedades agrárias tradicionais foram al­guns dos fatores que levaram os sociólogos a elaborarem o conceito de secularização.
04. Entre as características do processo de secularização, está a tendência das religiões de procurarem adaptar suas doutrinas ao mundo moderno, assimilando integralmente os avanços do conhecimento científico.
08. O declínio da influência política e da autoridade inte­lectual da Igreja Católica na Europa dos tempos contempo­râneos bem como o fortalecimento das ideias de cidadania e liberdade de expressão foram fatores que permitiram o desenvolvimento do processo de secularização.
16. A perseguição das práticas religiosas em alguns Estados contemporâneos mostra que o processo de secularização não impediu a intolerância e a discriminação.
Some os números dos itens corretos. 26 (02 + 08 + 16)

08 - Com base nesse método, classificam-se as sociedades  não adeptas da cultura europeia como “exóticas”, “atrasadas”, “involuídas e arcaicas”, com uma formação social pri­mitiva, de uma religiosidade mítica e irracional. Qual Qual era a justificativa dos evolucionistas para a ocor­rência da dominação neocolonialista?
Inspirados na teoria da evolução de Darwin, os antro­pólogos evolucionistas afirmavam existir fases de evolução social, ou seja, da selvageria à civilização, passando pela barbárie. Dentro dessa perspectiva, os estudiosos tinham como parâmetro a sua civilização europeia industrial e ex­pansionista, desconsiderando a realidade histórica das organizações sociais dos povos não europeus. A grande “mis­são” europeia, então, seria a de levar a “civilização” para os povos “não civilizados”.

09 - (ENEM)A identidade negra não surge da tomada de cons­ciência de uma diferença de pigmentação ou de uma diferença biológica entre populações negras e brancas e(ou) negras e ama­relas. Ela resulta de um longo processo histórico que começa com o descobrimento, no século XV, do continente africano e de seus habitantes pelos navegadores portugueses, descobrimento esse que abriu o caminho às relações mercantilistas com a África, ao tráfico negreiro, à escravidão e, enfim, à colonização do conti­nente africano e de seus povos.
K. Munanga. Algumas considerações sobre a diversidade e a identidade negra no Brasil. In: Diversidade na educação: reflexões e experiências. Brasília: SEMTEC/MEC, 2003, p. 37.
Com relação ao assunto tratado no texto acima, é cor­reto afirmar que:
a) a colonização da África pelos europeus foi simultânea ao descobrimento desse continente.
b) a existência de lucrativo comércio na África levou os portugueses a desenvolverem esse continente.
c) o surgimento do tráfico negreiro foi posterior ao início da escravidão no Brasil.
d) a exploração da África decorreu do movimento de ex­pansão europeia do início da Idade Moderna.
e) a colonização da África antecedeu as relações comerciais entre esse continente e a Europa.

10 - (ENEM) Os textos referem-se à integração do índio à chamada civilização brasileira.
I
Mais uma vez, nós, os povos indígenas, somos vítimas de um pensamento que separa e que tenta nos eliminar cultural, social e até fisicamente. A justificativa é a de que somos apenas 250 mil pessoas e o Brasil não pode suportar esse ônus. (...) É preciso congelar essas ideias colonizadoras, por­que elas são irreais e hipócritas e também genocidas. (...) Nós, índios, queremos falar, mas queremos ser escutados na nossa língua, nos nossos costumes.
Marcos Terena, presidente do comitê Intertribal Articulador dos Direitos Indígenas na ONU e fundador das Nações Indígenas, Folha de S. Paulo, 31 de agosto de 1994.
II
O Brasil não terá índios no final do século XXI (...). E por que isso? Pela razão muito simples que consiste no fato de o índio brasileiro não ser distinto das demais comunidades primitivas que existiram no mundo. A história não é outra coisa senão um processo civilizatório, que conduz o homem, por conta própria ou por difusão da cultura, a passar do pale­olítico ao neolítico e do neolítico a um estágio civilizatório.
Hélio Jaguaribe, cientista político, Folha de S. Paulo, 2 de setembro de 1994.
Pode-se afirmar, segundos os textos, que:
a) tanto Terena quanto Jaguaribe propõem  ideias inade­quadas, pois o primeiro deseja a aculturação feita pela “civilização branca”, e o segundo, o confinamento de tribos.
b) Terena quer transformar o Brasil numa terra só de ín­dios, pois pretende mudar até mesmo a língua do país, en­quanto a ideia de Jaguaribe é anticonstitucional, pois fere o direito à identidade cultural dos índios.
c) Terena compreende que a melhor solução é que os brancos aprendam a língua tupi para entender melhor o que dizem os índios. Jaguaribe é de opinião que, até o final do século XXI, seja feita uma limpeza étnica no Brasil.
d) Terena defende que a sociedade brasileira deve respeitar a cultura dos índios e Jaguaribe acredita na inevitabilidade do processo de aculturação dos índios e de sua incorporação à sociedade brasileira.
e) Terena propõe que a integração indígena deve ser lenta, gradativa e progressiva, e Jaguaribe propõe que essa integração resulte de decisão autônoma das comu­nidades indígenas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário